Governo Temer vai revisar pagamento de benefício assistencial a idosos e deficientes

O Governo Federal na gestão Michel Temer estipulou como uma das metas para os próximos meses a revisão de benefícios a idosos e deficientes. Com cadastrados de mais de décadas e contas altas governamentais, a medida pode ajudar bastante a melhorar os gastos e ajudar a mais brasileiros que necessitem do benefício.

governo-temer-vai-revisar-pagamento-de-beneficio-assistencial-a-idosos-e-deficientes-2

Medida de Temer visa melhorar números do Governo Federal

O pagamento de benefícios e prestação continuada do Governo Federal para pensões e auxílio doença soma mais de 40 bilhões de reais em 2016. A previsão é chegar em 2017 com uma conta de mais de 45 milhões, um número extremamente alto diante das contas atuais do país. Aos olhos da equipe de Michel Temer este tipo de pagamento necessita de revisão urgente.

Muitos dos critérios de pagamento necessitam de revisão urgente. A lei determina a aprovação da mensalidade para os requerentes apenas se o beneficiário tiver uma renda de apenas um quarto de salário mínimo. Uma lei ultrapassada dados os juros e economia atual. A revisada do Governo Temer deve atualizar este valor para algo mais viável e se adequar à realidade econômica atual do país.

Revisão de pagamentos de pensões é um processo comum

A revisão de benefícios pagos pelo INSS é uma atividade comum do processo e deve ser feita a cada dois anos. Contudo, não é feita há 8 no Brasil e pode estar gerando o valor elevando nas contas públicas. Segundo o Ministro de Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrane, não se sabe o porquê deste processo não ter acontecido antes.governo-temer-vai-revisar-pagamento-de-beneficio-assistencial-a-idosos-e-deficientes-3

A reorganização do pagamento dos beneficiários de auxílio doença e idoso visa também evitar fraudes e aumentar ainda mais a quantidade de atendidos. Desde a primeira semana de novembro de 2016 tornou-se obrigatória a inscrição no Cadastro Único. infelizmente mais de dois milhões de brasileiros não possuem. E com mais de 60% dos cadastrados sem declarar a renda, não há como saber quem está realmente necessitando do valor ou burlando as regras.

Revisão de processos de auxílio doença devem ser feitas pessoalmente

Uma das mudanças para a continuidade do pagamento de auxílio doença é um novo chamado para perícia médica. Salvo os idosos portadores de deficiência, os demais devem ser convocados para uma agência do INSS mais próxima da residência e realizar uma nova perícia. A medida visa eliminar cadastros falsos e dados médicos já ultrapassados, quando o paciente não mais necessita do benefício e continua a receber.

Em primeiro momento ninguém será excluído do benefício

A equipe do Governo Temer foi bem claro: a revisão do cadastro único não vai excluir ninguém por enquanto. Apenas com os dados devidamente cadastrados dos beneficiários e atualização das informações é que deve acontecer uma avaliação dos pagamentos e se ainda há merecimento do mesmo.

Estima-se números menores de gastos com benefícios do INSS nos próximos anos quando alguns cadastros forem atualizados e revistos. Não se sabe ao certo a quantidade de pessoas com auxílio doença sem necessitar mais dos pagamentos, os idosos já falecidos com terceiros recebendo o pagamento e fraudes na renda.